Receba conteúdos e novidades da iugu

Gestores de pequenas e médias empresas enfrentam uma série de desafios todos os dias. Diante disso, contar com um bom planejamento financeiro é fundamental para conseguir superá-los. Afinal, essa importante ferramenta de gestão possibilita uma maior previsibilidade ao negócio.

Sendo assim, é preciso criar um planejamento minucioso e realista, pois é com base nele que as principais decisões da empresa serão tomadas. Neste texto, você vai encontrar um passo a passo para fazê-lo da forma mais adequada, evitando erros e se atentando a alguns detalhes valiosos. Confira!

Planejamento financeiro alinhado à sua situação financeira

O primeiro ponto importante de um bom planejamento financeiro é conhecer o cenário atual da empresa. Nesse contexto, você precisa fazer um levantamento dos saldos de todas as contas, despesas e previsões de entradas. Esses dados serão essenciais para verificar a situação real do negócio.

Com isso, você será capaz de identificar possíveis problemas que demandem uma intervenção. Por exemplo, os valores acumulados nas contas de investimento podem não render conforme o esperado. Portanto, antes de pensar em novos investimentos, esse fator deverá ser considerado no planejamento financeiro.

O entendimento da situação atualizada é ainda mais importante se a sua empresa estiver com alguma dívida. Nesse caso, é preciso fazer um levantamento de credores e valores devidos a cada um. Isso ajudará a desenvolver uma estratégia mais eficaz para quitar tudo e começar a aproveitar os lucros de outra forma.

Faça uma previsão de orçamento

A previsão orçamentária é imprescindível para o sucesso do planejamento. É ela que vai subsidiar as principais informações relativas à previsibilidade financeira da empresa. Em contrapartida, sem ela, suas decisões serão verdadeiros “tiros no escuro”.

Então, é preciso que você saiba o quanto é esperado de faturamento para os próximos meses. Essa previsão pode ser feita com base em dados do histórico de anos anteriores e em algumas especulações de mercado. Outro ponto relevante é considerar as metas de vendas estipuladas para sua equipe comercial. O importante é garantir que a previsão seja feita de forma realista e factível. Assim você diminui os riscos de errar em sua estratégia financeira.

Compreenda seus custos

Conhecer os custos de uma empresa parece uma tarefa simples, mas não é. Muitos detalhes podem ficar escondidos ou ser esquecidos. Inclusive, eles podem ser os grandes vilões da sua situação financeira, e você ainda não se deu conta.

Portanto, é preciso esmiuçar todos os custos para fazer uma conta mais precisa. Comece pelos operacionais. Some todos os valores necessários para manter sua empresa aberta e operante. Isso envolve os custos fixos e os variáveis.

Nos custos fixos, considere itens como salários, aluguel e gastos com água, energia, telefone e internet. Já nos variáveis, lembre-se de considerar matéria-prima e, até mesmo, mão de obra temporária se for o caso.

Além disso, é relevante se atentar para o pagamento de taxas e impostos diversos. Eles podem exercer um impacto considerável, dependendo do tipo de negócio em que você atua.

Entenda e registre sua movimentação financeira

O dia a dia do setor financeiro de uma PME pode ser caótico. Em geral, são poucas pessoas para dar conta de muito serviço. Logo, é preciso garantir uma organização mais apurada e, assim, evitar erros.

Para tal, o registro de toda a movimentação diária apresenta-se como crucial. Por meio dele se consegue ter um controle mais eficiente de cada conta. Afinal, é preciso ter as informações disponíveis em algum lugar para, então, conseguir analisá-las. A seguir, confira alguns tipos de análises importantes.

Movimentação diária

Para entender sua movimentação financeira, é preciso analisar as entradas e saídas sob diferentes pontos de vista. O primeiro deles é a movimentação diária. Dados como quantidade de boletos emitidos e volume de transações podem ajudá-lo a se planejar quanto ao montante necessário no fundo de caixa, por exemplo.

Movimentação semanal

Por sua vez, os dados semanais demonstram algumas recorrências significativas para uma análise um pouco mais ampla. Com eles, você pode encontrar algumas tendências, como movimentações maiores e menores em determinados dias.

Movimentação mensal

Já os dados mensais cobrem os principais custos fixos. A partir deles, fica mais fácil ter uma previsibilidade maior da distribuição mensal dos valores e trabalhar melhor com o resgate de investimentos.

Análises mais longas

Por fim, as informações em períodos maiores — como trimestrais, semestrais e anuais — são fundamentais para entender como o seu negócio tem evoluído. Com elas, é possível verificar se existe algum ponto de atenção a ser tratado ou, até mesmo, se sua empresa tem crescido além da expectativa.

Recorra a ferramentas financeiras

Para conseguir realizar todas as análises descritas no tópico anterior, você precisará de alguma ferramenta financeira. Se a sua empresa for bem pequena, com pouca movimentação, uma planilha de Excel bem elaborada pode dar conta do recado. Porém, o ideal é ter um sistema de gestão.

Esse tipo de software é desenvolvido para atender às principais necessidades do negócio. O uso dele facilita e agiliza diversos processos, como inserção dos dados e extração de relatórios. Com isso, a rotina do financeiro fica mais otimizada e boa parte dos erros são evitados.

Trabalhe com possibilidades distintas

Imprevistos acontecem o tempo todo, e sua empresa precisa estar preparada para lidar com eles. Para isso, a primeira atitude é tentar prever diversos cenários. Contudo, é preciso ter cuidado ao fazer essas previsões, a fim de realizá-las de forma mais consciente e fundamentada.

Com base na análise dos dados financeiros da empresa e de tendências de mercado, você pode concluir alguns caminhos possíveis. Para cada um deles, estabeleça um plano diferente. Lembre-se de pensar em algumas situações mais extremas, como deixar de faturar por um longo período.

Se você se preparar para diversos cenários, suas chances de acertar algum deles é muito maior. Sendo assim, mesmo que as coisas se encaminhem para algo que você não conseguiu prever, sua empresa terá uma capacidade maior de adaptação.

Controle e reduza gastos

Por fim, o planejamento financeiro da sua empresa precisa ajudar no controle dos gastos. Isso envolve saber muito bem quais são os pontos essenciais nos quais não é possível fazer uma redução sem afetar a qualidade da entrega. Também está diretamente relacionado a saber quais são os planos de crescimento que precisam ser subsidiados.

Com base em todas as análises descritas até aqui, fica muito mais fácil identificar as despesas que podem ser reajustadas. Além disso, a estratégia adotada traz metas bastante motivadoras para a equipe. Isso ajuda a fazer com que toda a empresa se engaje no mesmo objetivo.

Então, se você ainda não fez um planejamento financeiro para a sua empresa, é melhor começar hoje mesmo! Só assim conseguirá atingir bons resultados e ver seu negócio crescer e lucrar cada vez mais.

Gostou deste conteúdo? Curta e acompanhe a nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as nossas atualizações e novos conteúdos!

Fale hoje com um especialista iugu e entenda como podemos ajudar a potencializar o seu negócio
Painel de controleContato comercialSeja um parceiro
Produto
CobrançasMarketplacePlanos
Informações
DocumentaçãoCentral do desenvolvedorAjuda e suporteBlogStatus do serviço
closefacebook-squarelinkedin-squaretwitterbarsinstagram