Esclareça 4 dúvidas sobre o Código EAN

Você conhece o Código EAN e sabe por que ele é tão importante para quem atua com vendas de mercadorias? A trajetória de um produto — matéria-prima, fabricação, transporte e armazenamento — pode ser facilmente identificada por meio desse recurso.

O comportamento de urgência e exigência do novo consumidor obrigou as empresas a se movimentarem para oferecer algum diferencial. A competitividade aumentou e com ela a necessidade de encantar e fidelizar os clientes.

Neste post, você vai saber o que é o código EAN e como ele funciona na prática. Além disso, vamos responder a 4 dúvidas frequentes sobre a tecnologia e elencar as principais vantagens de implementação para o seu negócio!

O que é o código EAN?

Código EAN — European Article Number, ou Número de Artigo Europeu, em português — é um sistema internacional também conhecido como código de barras, desenvolvido para identificação de itens ou produtos comercializados no varejo.

A composição do código se dá em barras, com 13 dígitos divididos em 4 blocos — 12 são atribuídos aos produtos e um, ao verificador. O EAN é utilizado mundialmente, mesmo em países como EUA e Canadá, que até os anos 2000 utilizavam apenas o código UPC (Código Universal de Produtos).

Qual é a funcionalidade desse código?

A principal função do código EAN é promover melhor gerenciamento de vendas com o fornecimento das informações mais relevantes de identificação de cada produto. Com isso, será possível realizar um controle efetivo por unidade ou lote.

O uso do código é essencial se você deseja comercializar seus produtos em marketplaces ou mesmo exportar para outros países e ampliar suas oportunidades de vendas.

Embora algumas empresas ainda julguem o processo burocrático e posterguem o uso da tecnologia, em muitas plataformas de vendas online o cadastro do código EAN é obrigatório — caso sua empresa seja a fabricante é preciso gerar um código próprio para circular no mercado.

Como criar um código EAN para o negócio?

Para gerar um código próprio, o procedimento mais comum é se cadastrar na GS1 Brasil — Associação Brasileira de Automação — responsável única pela atribuição da Licença para Codificação de Itens Comerciais e que permite aplicação internacional.

Os passos são simples, mas devem obedecer às seguintes etapas:

  • cadastro com dados da empresa;
  • envio da documentação solicitada — por fax, e-mail ou Correios;
  • pagamento da taxa correspondente — via boleto ou depósito identificado;
  • concessão da licença e acesso ao CNP — Cadastro Nacional de Produtos.

No CNP, você vai informar todos os dados possíveis sobre o seu produto, como fotos, marca, peso, volume, dimensões, descrição, e criar toda a codificação para cada um, de acordo com as especificidades e a quantidade de produtos.

Esse tipo de estratégia tende a impulsionar as vendas e aumentar a credibilidade da marca. A identificação do caminho percorrido pelo produto e a rastreabilidade depois da saída do estoque permitem melhor e mais ágil atendimento.

Quais são as dúvidas mais comuns sobre o código EAN?

A empresa que não estiver familiarizada com o uso do código EAN poderá apresentar diversos questionamentos sobre o recurso. Trouxemos, a seguir, 4 das principais dúvidas de quem planeja a implementação.

guia definitivo do marketplacePowered by Rock Convert

1. O que é preciso fornecer em caso de PF e PJ?

Para gerar e adquirir um código EAN você precisará fornecer dados e apresentar documentos conforme o registro do seu negócio. Veja!

Se Pessoa Jurídica

  • Contrato Social e Última Alteração, com cláusula de gerência, determinando as pessoas autorizadas a assinar em sua representação;
  • Escrituração Contábil Fiscal (ECF);
  • registro Y540 — Discriminação da Receita de Vendas dos Estabelecimentos por Atividade Econômica;
  • Extrato Simples Nacional ou Simei — mais recente;
  • comprovação do valor declarado como faturamento anual da empresa;
  • CNPJ.

Se Empresário Individual

  • Declaração de firma individual ou requerimento do empresário;
  • Escrituração Contábil Fiscal (ECF);
  • registro Y540 — Discriminação da Receita de Vendas dos Estabelecimentos por Atividade Econômica;
  • Extrato Simples Nacional ou Simei — mais recente;
  • comprovação do valor declarado como faturamento anual da empresa;
  • RG;
  • CPF;
  • CNPJ.

Se Artesão e produtor rural

  • Registro ou inscrição na entidade de classe competente;
  • comprovante de endereço;
  • declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) do último exercício;
  • comprovação do valor declarado como faturamento anual da empresa;
  • RG;
  • CPF.

2. Qual é a estrutura numérica?

Os 13 dígitos são padronizados e reconhecidos mundialmente. Para isso, se dividem em blocos que identificam cada um deles:

  • 1º bloco com 3 dígitos — código do país do fabricante;
  • 2º bloco com 6 dígitos — código do fabricante;
  • 3º bloco com 3 dígitos — código do produto para o fabricante;
  • 4º bloco com 1 dígito — código verificador.

O código verificador tem uma função importante que é avaliar se a leitura dos demais códigos está correta. Para isso, executa cálculos utilizando os dígitos restantes e exibe uma mensagem de erro em caso de inconsistência detectada.

3. Onde é necessário?

Se a sua empresa comercializa produtos — seja no atacado, seja no varejo — que carecem de rastreabilidade de identificação e localização para atender aos clientes nos prazos estabelecidos nas vendas, o código EAN é imprescindível.

Com ele sua empresa ganhará em agilidade, uma vez que a equipe de vendas, estoque e logística terão maior eficiência e produtividade nas operações. A tecnologia permite a leitura e decodificação das informações de forma prática e rápida.

4. O código EAN pode ser reaproveitado?

Uma vez gerado para determinado tipo de produto, caso a empresa decida lançar uma novidade, deverá solicitar outro código. Isso porque se a intenção é evitar erros e falhas na identificação e rastreio de mercadorias, o reaproveitamento daria margem para essas ocorrências.

Vantagens do código EAN: por que utilizar?

Uma empresa com pensamento voltado para a experiência diferenciada do cliente pode abrir vantagem competitiva ao utilizar recursos tecnológicos modernos com características universais, como o código EAN. Veja em que mais ele pode ajudar!

Melhor experiência de compra

Tudo que o consumidor atual deseja é ter as informações disponíveis de forma prática e objetiva. Não satisfeito com apenas uma ou duas opções, é normal que ele realize comparações entre os produtos que pretende adquirir.

O código EAN vai permitir que tanto as similaridades quanto as diferenças sejam mais fáceis de identificar em produtos com as mesmas características. O direito a uma pesquisa mais elaborada antes de efetuar a compra vai garantir a satisfação do cliente ao receber exatamente o que desejava.

Mais agilidade

O tempo tornou-se um bem precioso, por isso, agilizar o atendimento vai garantir muitos pontos favoráveis para a sua empresa. A espera demorada em uma fila ou pela chegada de um produto não é o melhor caminho para a fidelização.

Se antes o profissional executava uma função manual com digitação número por número, com a adoção do código, basta a aproximação do leitor para que o escaneamento seja completo.

Maior precisão de informações

Dificilmente a leitura de um código apresentará erros ou divergências nas informações. O trabalho conjunto de um sistema de automação com um código verificador serve para evitar o retrabalho e os riscos de falhas manuais.

Dar ao produto uma identidade e permitir que o consumidor tenha acesso às informações importantes sobre a origem dele vai elevar o padrão de qualidade da sua marca.

Se você gostou do post sobre o código EAN, assine a nossa newsletter para ter acesso a conteúdos e conhecer diversos recursos para implantar na sua empresa!

banner ebook split de pagamentoPowered by Rock Convert

Fale hoje com um especialista iugu e entenda como podemos ajudar a potencializar o seu negócio!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.