Empresa SaaS: entenda os diferenciais desse modelo!

Você sabe qual a denominação de software como serviço? Muitos modelos de negócio surgiram depois que a transformação digital introduziu no mercado o novo modo de atender aos anseios e necessidades de públicos cada vez mais exigentes.

Muito responsável por isso, a tecnologia abriu espaço para um dos modelos que mais se destaca entre os empreendedores: Empresa SaaS. Essa é uma solução com aplicações virtuais que alcança resultados expressivos para muitos tipos de negócio.

Ficou interessado? Continue lendo o artigo para entender melhor o funcionamento do SaaS, os passos para a implantação e todas as funcionalidades que ele oferece. Além disso, vamos apresentar algumas variações de serviços que podem também agregar à sua empresa.

Como funciona o SaaS?

O modelo SaaS — Software as a Service, ou Software como Serviço, em português — é uma solução de TI aplicada em nuvem que tem o objetivo de prestar serviços. Em vez de o software ser instalado em modo físico, opera virtualmente para agilizar e padronizar diversos processos.

Surgimento

O comportamento do consumidor mudou e com ele o estado de urgência. Diariamente, páginas e mais páginas são acessadas na internet por usuários ávidos à procura de produtos ou serviços variados para atender a suas expectativas.

Muitas empresas que não contam com recursos, espaço ou disposição para investir em equipamentos, lançaram mão do SaaS. Essa, aliás, é uma das características mais marcantes da solução — transformar o software em serviço e operar de fora da empresa com a mesma eficiência.

Quando se contrata um fornecedor SaaS, investe-se em serviço e não em licença, embora seja um software. O bom é que nesse modelo você não terá preocupação com atualizações, compras de novas licenças ou parametrização de sistema.

Desafios para implantação

A segurança, ou melhor, a aparente falta dela é um dos mais fortes empecilhos para adesão ao SaaS. O fato de as informações rodarem totalmente fora da empresa é visto com desconfiança por muitos empreendedores.

Ainda assim, o interesse nesse modelo vem crescendo pela praticidade, custo baixo e possibilidade de a empresa focar em outros aspectos do negócio sem se preocupar com panes nos equipamentos ou desembolso com manutenção — uma mudança de mindset cada vez mais abrangente.

Principais modelos

A escolha de um modelo depende da estratégia de vendas, definição de preço e valor agregado. Veja as características de cada um e analise o que melhor se aplica à sua empresa.

Free Trial

Uma modalidade de versão gratuita, mas limitada. Normalmente, é disponibilizada para um período de degustação e teste — caso o cliente deseje mais funcionalidades, terá que assinar uma versão mais sofisticada e premium.

A versão free não é robusta, mas pode ajudar a atrair os consumidores e, por meio das funcionalidades, despertar um interesse maior de conhecer uma versão mais avançada, convertendo a venda.

Self-service

Uma versão adquirida pelo próprio cliente de forma livre e sem intervenção da equipe de vendas. As pesquisas no site mostram os tipos de versões e o cliente vai escolher conforme as necessidades.

Inside Sales

Um modelo que requer o contato do vendedor para um levantamento sobre as reais necessidades da atuação, ou seja, a identificação dos anseios dos potenciais clientes levará à conversão e retenção em médio prazo.

Field Sales

Por fim, chegamos ao modelo um pouco mais complexo que é quando um vendedor vai in loco para conhecer a empresa, detalhar seu perfil e levantar suas necessidades para um diagnóstico completo e recomendação de uma versão personalizada.

Exemplos de empresas SaaS

Muitos negócios já aderiram à empresa SaaS e se tornaram referência de mercado. Talvez você não saiba, mas todas as empresas relacionadas abaixo já operam dentro da filosofia de software como serviço:

  • Netflix – streaming;
  • Microsoft – Office365;
  • Google – Google Drive, Analytics;
  • Adobe – PDF;
  • Zendesk;
  • Salesforce – CRM;
  • Dropbox;
  • Paypal.

Qual o panorama do mercado SaaS no Brasil?

No Brasil, o histórico de crescimento do SaaS apresenta uma evolução tanto na efetividade da ferramenta quanto na confiabilidade gerada nos empreendedores mais conservadores.

As empresas de negócio recorrente (pagamento por assinatura) são as que mais se beneficiam com esse modelo, sendo os estados de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina os polos principais e de maior número de empresas SaaS.

Esse modelo faz parte do ecossistema da computação em nuvem ou cloud computing — que, por sua vez, é um conceito mais abrangente da tecnologia e permite aplicação de diversos outros modelos, como o PaaS e o IaaS, por exemplo.

PaaS

Do inglês Platform as a Service, o modelo de plataforma como serviço tem a função de hospedar e gerenciar um software próprio em determinado ambiente. O PaaS permite o acesso a dados mais complexos até mesmo em dispositivos móveis de forma integrada entre as equipes envolvidas.

IaaS

O Infrastructure as a Service, ou infraestrutura como serviço em português, refere-se à transferência dos servidores físicos para os servidores instalados na nuvem. É ideal para empresas que atuam de maneira on-line e têm pouca necessidade de investimento em equipamentos. O modelo IaaS é subdividido conforme as necessidades das empresas:

  • nuvem pública – infraestrutura dos servidores é compartilhada e gerenciada pelo provedor em nuvem;
  • nuvem privada – infraestrutura em nuvem é da empresa e controlada de forma particular, ainda que os dados estejam armazenados em ambiente externo;
  • nuvem híbrida – infraestrutura tem características de utilização pública e particular utilizada conforme a necessidade de cada empresa.

Quais são as principais informações do modelo SaaS?

Custos reduzidos

Sem a demanda de investimento em equipamentos, licenças ou compra de software, a tendência é que a empresa reduza seus gastos exponencialmente. Além disso, não existe também, no modelo SaaS, as despesas com atualização de versões.

Acessibilidade

O modelo SaaS pode ser acessado de qualquer equipamento que disponha de internet. Isso quer dizer que as atividades ganham um ritmo mais dinâmico e contínuo — profissionais em viagens ou em home office terão acesso mais rápido e mais segurança no trabalho.

Modelo automatizado

Além da inexistência de um equipamento para servidor, com a hospedagem em nuvem não será necessário instalar o software no computador dos usuários, nem fazer atualizações.

Com o software instalado na internet, as atualizações rodam de forma automática e não geram mais custos para a empresa contratante. Outro fator relevante é que o modelo SaaS foi desenvolvido para possibilitar a integração com outros sistemas sem que seja necessário fazer novos investimentos.

Serviço personalizável

O SaaS é flexível às necessidades de cada empresa e pode ser personalizado conforme o negócio. O fato de ser possível integrar o software a outros sistemas já existentes na empresa facilita a adaptação e a customização de algumas funcionalidades.

Como você pôde ver, o SaaS é uma boa alternativa não apenas para negócios recorrentes, mas também para qualquer empresa que deseja uma ferramenta ágil, eficiente e de custo reduzido.

Ter uma empresa SaaS é contar com a inovação e dialogar mais facilmente com fornecedores, clientes e demais empreendimentos que também utilizam esse modelo — uma escolha promissora que pode abrir uma ampla vantagem competitiva.

Curtiu o post? Que tal assinar nossa newsletter e receber diversos artigos interessantes sobre esse e outros assuntos relacionados às plataformas de serviços on-line e suas variações de funcionalidades?

Fale hoje com um especialista iugu e entenda como podemos ajudar a potencializar o seu negócio!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.